Investimento Bitcoin: ainda vale à pena?

Investimento Bitcoin: ainda vale à pena?

Tempo de leitura: 6 minutos

O investimento em Bitcoin é a aplicação mais controversa dos últimos 10 anos.

Nos primeiros anos do seu surgimento, diversos campos de estudo ficaram estimulados a estudar o que essa nova tecnologia poderia trazer.

Assim sendo, diversas áreas do conhecimento foram acionadas: desde a Economia, preocupada com sua políticas monetárias; passando pelo Direito, com os aspectos relacionados à regulação; bem como as áreas de saúde e políticas públicas, que tentaram prever a facilidade de acesso à substâncias ilegais.

Embora tenha havido todo esse interesse, após mais de 10 anos do seu surgimento, o futuro do Bitcoin e da tecnologia Blockchain ainda permanecem um mistério.

Para nós investidores a pergunta que importa é: vale à pena investir em Bitcoin?

Para responder a essa pergunta, precisamos entender o que dizem as principais áreas de estudo sobre essa criptomoeda, pois ainda não há um consenso formado sobre o tema no mercado.

Baseado nisso, você conseguirá ter uma visão mais clara se vale à pena ou não.

Prós do Investimento em Bitcoin

Vamos investigar qual o lado bom de se investir em Bitcoin. Principalmente, vamos olhar o passado e as expectativas dos agentes em relação ao ativo.

Histórico de Altíssima Rentabilidade

De 2015 à 2017, quem tinha Bitcoin viu seu dinheiro rendendo algo em torno de 4500%. Rendimentos nesse nível às vezes acontecem na Bolsa de Valores, mas, em regra, são sempre imprevisíveis e raríssimos.

Investimento Bitcoin

A princípio, apesar das quedas repentinas, o valor do Bitcoin pode subir astronomicamente mais uma vez.

Esse movimento, como o que aconteceu em 2017, pode deixar pessoas milionários da noite para o dia, sobretudo que tem uma participação expressiva nesse mercado.

Por exemplo: quem investiu apenas $400 em 2010, em 2013 tinha $ 1.176.470,58. Ou seja, tornou-se um milionário.

Hoje o Bitcoin está na casa de $7.330,00, que é, em média, 22% maior do que o valor do Bitcoin em 2018. Um rendimento não tão alto como o anterior, mas, mesmo assim, muito significativo e difícil de se conseguir no mercado financeiro.

Liberdade para Transacionar

Uma das grandes vantagens apontados pelos usuários de Bitcoin é a facilidade e a liberdade que eles possuem para transacionar dinheiro. Isso é feito sem restrições do Governo  ou dos Bancos, por exemplo.

Além das restrições, o Bitcoin não conta com sistemas de fiscalização. Dessa forma, nenhuma entidade saberá para quem você fez pagamentos ou recebimentos.

Muitos podem alegar que esse sistema só serve para ajudar o crime, mas isso não é verdade. Essa liberdade e a falta de fiscalização é proveniente de um sistema de segurança rígido, baseado na tecnologia do Blockchain.

O fato de serem anônimos os detentores de Bitcoin contribui para que sejam protegidos contra fraudes, furtos ou golpes.

Ausências de Taxas

As transações financeiras em Bitcoin são bastante simples e descentralizadas, por isso não precisam da intermediação de Bancos ou Corretoras.

Como não precisam de intermediários, por consequência também não existem taxas de Administração, anuidades, de serviços ou corretagem.

Outra grande vantagem do Bitcoin é, por certo, a facilidade para adquirir e comercializar moeda. Basta uma conexão com internet para que as transações sejam efetuadas, sem grandes processos burocráticos.

Contras de Investimento em Bitcoin

Risco

Foi explicado entre as vantagens que o Bitcoin pode ter rendimentos astronômicos, isso é verdade, mas existe um risco inerente ao potencial de ganho: um potencial de perda muito grande.

Assim como de 2015 para 2017 houve um rendimento médio de 4500%, de 2017 para 2018 a moeda virtual teve uma desvalorização de 70%.

Em princípio, existe uma regra importante no mundo dos investimentos que deve sempre ser lembrada: rendimentos passados não são garantia de rendimentos futuros.

O fato de muita gente já ter ganhado dinheiro com Bitcoin não significa que isso será uma realidade agora ou no futuro.

Energia

O Bitcoin só é possível com a tecnologia de blockchain.

Essa tecnologia funciona de forma descentralizada, em outras palavras, são vários computadores processando pequenas blocos de informação: daí do nome blockchain — corrente de blocos.

Essa tecnologia é extremamente segura, mais ainda do que os sistemas de grandes bancos ou de cartões de crédito. Entretanto, ela tem uma parte muito negativa: demanda energia demais para funcionar.

Um estudo da Universidade de Cambrigde mostrou que o Bitcoin demanda mais energia do que alguns países inteiros.

Enquanto o Bitcoin gasta em média 64.15 TWh por ano, a Suíça, por exemplo, gasta 58.46 TWh por ano.

Consumo de Energia Bitcoin
Bitcoin consome mais energia do que a Suíça.

É colossal o gasto de energia do Bitcoin e isso certamente inviabiliza uma das suas principais pretensões, que é o de substituir as moedas nacionais.

Não tem Garantia

Diferente de outros ativos que são garantidos de forma integral ou, pelo menos, parcial pelo Estado, o Bitcoin não tem garantias.

O investimento em Bitcoin não é regularizado, não passa por uma corretora e não tem a tutela do Estado como, por exemplo, a CVM, Banco Central ou até mesmo o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Se a moeda deixar de existir do dia para a noite, os investidores não terão a quem recorrer. Além disso, a justiça não saberá muito bem o que fazer, pois tudo ocorre no mais absoluto anonimato.

Não existirá nem mesmo ganhadores caso esse desaparecimento aconteça. Não existe a figura do rapaz que embolsa tudo e desaparece, isso porque a moeda não tem lastro — depósito em dinheiro de valor equivalente aos Bitcoins em circulação no mercado.

Bitcoin é uma moeda completamente virtual. Nada a garante a não ser o desejo das pessoas. Se um dia esse desejo acabar, tudo acabará.

Investimento em Bitcoin é pra você?

A pergunta apresentada foi: compensa investir em Bitcoin?

Diante dos fatos apresentados, só existe uma resposta possível: depende do seu perfil como investidor.

Se estiver disposto a aceitar os elevadíssimos riscos dessa tecnologia revolucionária, existe sim o potencial de ganhar muito dinheiro. Para isso, procure estudar bastante sobre o assunto.

Caso não aceite esses riscos, existem outros ativos interessantes no mercado que são menos arriscados, garantidos, regulados e tutelados pelo Estado. Conheça aqui algumas opções.

E então, o que pensa sobre os Bitcoins? Deixe suas perguntas nos comentários, ficaremos felizes em te responder.

Em Resumo:

  • O histórico de rentabilidade do Bitcoin é impressionante: 4500% de 2015 a 2017;
  • A possibilidade de queda também é bastante significativa: -70% de 2017 a 2018;
  • Não há incidência de taxas nas transações, que são anônimas e descentralizadas;
  • Não há órgãos reguladores, o que aumenta também o risco, já que não há lastro e nem garantias;
  • O uso do Bitcoin em larga escala esbarra em uma questão energética, já que é necessária muita energia elétrica para processar as transações.